Zaida Tapiê Nogueira: Ortoptista sempre!

Certamente muitos oftalmologistas tiveram a satisfação de trabalhar em parceria com a ortoptista Zaida Nogueira.
A história inicia-se no início da década de 50, quando a enfermeira brasileira atuante no Foundation Hospital em New Orleans, EUA, conheceu o médico oftalmologista, brasileiro Joaquim Marinho de Queiroz, que a incentivou a fazer Ortóptica.
Tratava-se de uma profissão nova e muito interessante. Assim, retornou ao Brasil e formou-se ortoptista pelo serviço do Prof.
Moacyr Álvaro, fundador do curso e merecedor ímpar de toda uma edição desta coluna.
Cacilda Gallo e Lygia Alves Lima tiveram papel importantíssimo na formação profissional de Zaida, sendo responsáveis por todo conhecimento inicial.
Finalizando o curso foi para Iowa City, contemplada por uma bolsa de estudos, aprimorando seus conhecimentos com vários especialistas no serviço do Prof. Herman Burian. De volta à terra natal, participou ativamente do curso em São Paulo por alguns anos, transmitindo toda sua bagagem científica junto da equipe do Prof. Renato de Toledo, ao lado de mestres como Prof. José Belmiro de Castro Moreira.

Ainda pela manhã, a ortoptista Stella Maris da Costa e Castro apresentou uma síntese de sua tese de mestrado recém defendida:
“Função visual e motora na esclerose múltipla”. Em seguida, a ortoptista Monalisa Sbampato Souto tratou da “Contribuição de equipe multidisciplinar na atuação em um escolar com baixa visão”, tema de seu mestrado em andamento na UNICAMP.

O almoço de confraternização contou com a maioria dos participantes. O período da tarde foi destinado à apresentação e discussão de artigos científicos tendo como apresentadores e discutidores as ortoptistas Silvia Chuffi, Tereza Borralho F. de Souza, Rita de Cássia Vignoli Damiani, Maria Amélia Ambrogini, Selma Vital e Ana Paula Braga além dos médicos oftalmologistas Bernardo Kaplan
Moscovici, Fábio Pimenta de Moraes, José Mário de Andrade e Fábio Adams.

No final da tarde a ortoptista e presidente do Conselho Brasileiro de Ortóptica, Andrea Pulchinelli Ferrari, fechou o evento expondo a atual situação da Ortóptica no Brasil e convidando todos a continuarem prestigiando os encontros científicos promovidos pelo CBOrt, como também os de Oftalmologia, a fim de sustentar a qualidade dos profissionais de Ortóptica que atuam no País.
Por fim, houve a apresentação e eleição da nova diretroria do CBOrt: Andréa Pulchinelli Ferrari (presidente, São Paulo/SP), Sílvia Chuffi (vice-presidente, Joinville/SC), Celina Tamaki (1ª tesoureira, São Paulo/SP), Andréa Karla R. de Carvalho (2ª tesoureira, São Paulo/SP), Claudinéia Miranda D. Terra (1ª secretária, Piracicaba/SP), Vera Pereira Bussiki (2ª secretária, São Paulo/SP), Priscila Ciocler Froimann (coordenadora da Comissão Científica e Publicações, São Paulo/SP), Ana Paula Braga (vice-coordenadora
da Comissão Científica e Publicações, São Paulo/SP) e Márcia Melo de Oliveira Rassi (representante CBOrt junto da IOA, Goiânia/GO).
A nova diretoria, juntamente com os colegas ortoptistas de todo o Brasil, já estão programando atividades científicas em comemoração aos 65 anos da Ortóptica no Brasil para o ano de 2012 que, certamente, contarão com a participação de médicos oftalmologistas na discussão de temas relacionados à Ortóptica.

Meu primeiro contato com Zaida Nogueira foi em 1992, quando na cidade de Belo Horizonte aconteceu o 3º Congresso Brasileiro de
Ortóptica, nobremente presidido por Neide Oréfice e contando com a ilustre presença do Prof. Eugene Helvestone. Na época, ainda como imatura acadêmica de Ortóptica da EPM, não vislumbrava a importância da experiência de todos estes e muitos outros profissionais na formação de tantos ortoptistas no Brasil.

Meados de 2005, a Associação Brasileira de Ortóptica /Conselho Brasileiro de Ortóptica, presididos pela incansável batalhadora Mariza Pfeiffer, colocaram seu site no ar. Em 2006, garimpando material para abrilhantar nosso site, procurei e novamente encontrei-me com Zaida. Tive o prazer de entrevistá-la e agradeço este contato tão importante para minha formação pessoal!
Zaida Nogueira trabalhou por mais de 40 anos com o Prof. Jorge Alberto Fonseca Caldeira, que durante anos esteve a frente de um dos maiores serviços de oftalmologia do Brasil, referência mundial e que sempre esteve ao lado do profissional, prestigiando o ortoptista, ministrando palestras nos nossos eventos.

Este contato próximo permitiu registrar as mudanças no perfil do ortoptista, mudanças benéficas que advém dos avanços das pesquisas na área médica. Permitiu também gratificantemente constatar que muita coisa ainda permanece como há anos: trabalhamos em parceria com médicos oftalmologistas auxiliando no diagnóstico de alterações da MOE, tratando em conjunto as conseqüências como a ambliopia por exemplo e realizando exercícios ortópticos em casos específicos.

Em 2007, ano comemorativo dos 60 anos de Ortóptica no Brasil, idealizamos e conseguimos realizar o 4º Congresso Brasileiro de Ortóptica em São Paulo onde Zaida Tapiê Nogueira foi a ortoptista homenageada e eu, mais uma vez, tive a honra de participar!
Atualmente, impulsionadas pelo apoio e reconhecimento, principalmente dos oftalmologistas, temos colhido poucos mas excelentes frutos. Cito agora o recente prêmio ao trabalho da ortoptista Vivian Kazue A. Secin no V Congresso Brasileiro de Estrabismo e Oftalmologia Pediátrica em Ouro Preto e que foi tema da matéria desta coluna na última edição:
“Estudo comparativo dos aspectos ortópticos de indígenas Guarani Mbya da Aldeia Sapukai e não-indígenas universitários do Estado do Rio de Janeiro”.
Posso afirmar que o brilho nos olhos e o amor pela Ortóptica que presenciei quando entrevistei Zaida Nogueira foram determinantes na minha trajetória, sendo rotineiramente lembrados. Esta lembrança quase sempre me emociona. Agradeço por aqui, pessoalmente e também em nome dos ortoptistas brasileiros, toda contribuição, tanta dedicação e por fazer parte, ainda hoje, da História da Ortóptica no Brasil!

“Zaida Nogueira trabalhou por mais de 40 anos com o Prof. Jorge Alberto Fonseca Caldeira, que durante anos esteve a frente de um dos maiores serviços de oftalmologia do Brasil, referência mundial e que sempre esteve ao lado do profissional, prestigiando o ortoptista, ministrando palestras nos nossos eventos”